Fornecedor no exterior: o que avaliar antes de importar dele?

china-usa

A avaliação do fornecedor no exterior antes de importar é um processo fundamental para medir a qualidade, tanto da empresa quanto do produto.   

Para toda organização que tem a pretensão de lidar com importações, formar boas alianças é indispensável.  

Ou seja, investigar se os fornecedores em potencial têm condições de atender aos requisitos de aquisição especificados pela empresa compradora é essencial.  

E mesmo com várias tecnologias à disposição, a busca por fornecedores estrangeiros pode ser fatigante, ou mesmo decepcionante, por falta de conhecimento para estabelecer as melhores relações comerciais.  

Para isso, alinharemos neste artigo a importância de avaliar e o que avaliar nos potenciais fornecedores no exterior.   

Por que é importante avaliar um novo fornecedor no exterior?  

Avaliar um fornecedor no exterior é importante para segurança da operação em geral e reflete diretamente na gestão da cadeia de suprimentos da empresa, aumentando inclusive seu market share.  

Desenvolver um relacionamento de confiança entre comprador (importador) e vendedor (exportador) é imprescindível para o êxito nas operações.  

Saber se o fornecedor já exporta para o Brasil pode ser valioso: isso demonstra familiaridade com o mercado e com a complexa legislação brasileira.  

Em contrapartida, não se deve descartar um fornecedor que pode ser exclusivo: é provável que o relacionamento fique muito mais próximo e assertivo, além de que essa primeira vez pode resultar em um diferencial no preço, na qualidade e prazos.  

Avaliar os fornecedores é uma atividade por vezes desafiadora, mas necessária para assegurar que sua empresa está montando uma cadeia de suprimentos segura, confiável e rentável.  

O que avaliar de um novo fornecedor do exterior?  

O cuidado com a qualificação dos fornecedores internacionais se assemelha a um processo seletivo. Exigem estabelecer critérios relevantes para o importador e definir a segurança do processo de forma alinhada com as estratégias da empresa compradora. O que permitirá alcançar seus principais objetivos.  

Firmar parceria com um novo fornecedor no exterior requer cuidado com inúmeros fatores. Por isso é preciso cercar-se de dados diversos e confiáveis que ajudarão a minimizar a insegurança que essa aquisição pode causar.  

Fique atento a:  

Histórico e tempo de empresa do fornecedor 

O histórico e tempo de fundação da empresa estão ligados à sua tradição no mercado.  

O fornecedor pode enviar informações sobre sua história através de uma apresentação ou essa consulta pode ser feita no site da empresa.  

No entanto, esse tipo de informação também pode ser confirmado através de instituições como Serasa Experian e SGS, que têm à disposição os Business Credit Report, relatórios internacionais capazes de detalhar informações sobre o histórico, estrutura física e hierárquica da empresa, bem como sua saúde financeira.  

Alguns órgãos governamentais na origem do país do potencial fornecedor, considerando que estimulam a internacionalização da empresa, acabam disponibilizando informações sobre empresas e produtos.  

Licenças e certificações do segmento  

Certificações e licenças são vitrine. Geralmente as que têm fazem questão de mostrar pois são garantia de qualidade ou, no mínimo, de linearidade do processo.  

Certificações válidas no mercado americano e na União Europeia são excelentes indicativos.  

Primeiramente, atenção ao tipo de produto: alguns têm licenças e certificações compulsórias para entrar no país. Não deixe de verificar esse detalhe.  

Análise de amostra  

A validação da amostra é a confirmação e materialização de todas as informações e negociações realizadas até o momento.  

Cada produto apresentará uma classe de dificuldade maior ou menor de adequação.  

Esta é a hora da área técnica entrar em ação: pois é preciso preocupar-se com a adequação do produto ao mercado brasileiro.  

Testes de durabilidade, conformidade, desempenho na linha de produção, linearidade de produção etc. são realizados.  

Como não é raro encontrar diferenças entre um lote e outro, ou até no mesmo lote, é preciso dedicar um pouco mais de atenção e planejar, quando possível, pedidos graduais.   

Isso garante que os processos e produtos mais complexos sejam extremamente seguros, como devem ser.  

Desconfie de fornecedores que não são abertos a visitas técnicas. Seja para conhecer as instalações da empresa bem como, para realizar inspeções no processo ou no produto.  

Referências  

É importante solicitar ao fornecedor em potencial referências comerciais de outros clientes no Brasil ou em outros países.  

Não se pode perder a oportunidade de entrar em contato com eles e confirmar a veracidade das informações, a fim de buscar ter impressões gerais sobre o fornecedor.  

Fornecedores que estão na lista de missões comerciais de órgãos ou instituições confiáveis podem ser vistos com bons olhos porque provavelmente já têm um certo nome no mercado.  

Estrutura física  

A estrutura física do fornecedor em potencial demonstra, contudo, sua capacidade produtiva é preciso avaliar se ele conseguirá atender sua demanda no tempo necessário e se a sua demanda é suficiente para levar em frente uma negociação.  

Atenção à “MOQ” (Minimal Order Quantity / quantidade mínima de encomenda) exigida pelo fornecedor!   

Uma boa e simples prática é consultar o Google Maps e Street View para verificar a estrutura da empresa, ainda mais porque é bem comum casos de empresas montarem toda uma estrutura de fachada no Photoshop.  

Visitas de inspeção nas dependências são produtivas e devem ser consideradas, seja através de intermediário (empresas especializadas que façam isso in loco) assim como usando meios tecnológicos, através de visitas virtuais.  

Feiras  

A participação em feiras e eventos internacionais é um forte indicativo de confiabilidade da empresa.   

É também sinônimo de investimento na área comercial e disponibilidade para aumentar e consolidar negócios.  

Disposição em montar uma estrutura temporária em determinado lugar. ainda assim demonstrar interesse no mercado interno e no de alcance da feira, ainda facilita o contato direto com alguns membros da equipe.  

Quando a empresa se dispõe a participar de feiras e eventos no Brasil. agora mesmo que online, aponta que ela considera o país um mercado importante e/ou que buscam parceiros para abrir e se consolidar no mercado brasileiro.  

Conclusão  

Como vimos, o desenvolvimento do fornecedor no exterior não é tarefa fácil, é repleta de minúcias e dá um trabalho constante. Mas que definitivamente tem várias vantagens: qualidade, produtividade, valor agregado e percebido, transparência, aumento de colaboração entre ambas as partes, tempo de resposta mais ágil e, principalmente, maior satisfação dos consumidores.  

Comprar é um dos primeiros passos no processo de vendas. Contudo comprar bem significa margem maior e vantagem para vender bem.  

Para que sua empresa foque na suaatividade principal e potencialize seus resultados, a Titânia Comex tem a solução: ela é especialista em desenvolver a avaliar novos fornecedores.  

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn